O Que é Taxa Selic? O Guia Absolutamente Completo!

Tempo de leitura: 16 minutos

Talvez isto já tenha acontecido com você, ao chegar em casa depois de um dia de trabalho e ligar a TV  para assistir o jornal, você se depara com o repórter mais uma vez anunciando que a Taxa básica de juros Selic aumentou ou diminuiu em um percentual qualquer.

Particularmente foram inúmeras as vezes que isto já aconteceu comigo. E não é só na TV, é comum ver notícias de aumento ou diminuição da Taxa Selic ganhando destaque em portais de notícias pela internet. Neste artigo você vai descobrir o que é a Taxa Selic, como ela funciona e qual o impacto desta taxa no seu dia-a-dia.

Como Funciona a Taxa Selic?

Como Funciona a Taxa Selic

Esta talvez seja a parte mais importante do artigo, para entender o que é a taxa Selic, você precisa saber qual a origem desta taxa.

Para construir estradas, hospitais, escolas e manter toda a máquina pública funcionando, o governo precisa de dinheiro. Além do dinheiro proveniente de impostos, uma outra maneira de conseguir mais recursos é através do tesouro nacional.

O papel do tesouro nacional é exatamente esse, conseguir recursos para financiar os gastos do governo. Para conseguir estes recursos o tesouro nacional emite títulos públicos. Existe uma série de títulos públicos que são emitidos pelo tesouro nacional e cada um tem seu funcionamento especifico. Em breve abordarei os investimentos em títulos públicos aqui no Aprenda Investir Dinheiro.

Apesar de existir um programa de venda de títulos públicos voltada para pessoas físicas, os maiores compradores destes títulos são os bancos. A maior parte das compras realizadas são feitas no mercado primário, neste mercado somente instituições financeiras credenciadas estão autorizadas a comprar títulos públicos. Estas instituições recebem o nome de Dealers e você pode acessar a lista dos 12 Dealers clicando aqui.

Controlando o Dinheiro em Circulação na Economia

Controlando o dinheiro em circulação na economia

Uma das maneiras de controlar a quantidade de dinheiro que circula na economia é através do Depósito Compulsório. Através dele, os bancos são obrigados por lei a depositar parte dos recursos oriundos de conta correntes, poupança e outros investimentos em uma conta especial no Banco Central.

A grosso modo, a consequência imediata é a diminuição da quantidade de crédito ofertado pelos bancos devido a diminuição do dinheiro disponível para empréstimos e outros financiamentos. Caso esta medida não fosse tomada, as pessoas consumiriam demasiadamente em excesso (crédito bancário fácil), o que poderia levar ao descontrole total da inflação.

De certa forma, o depósito compulsório é uma maneira de frear a expansão do crédito no mercado, diminuindo o consumo e consequentemente mantendo a inflação a níveis toleráveis.

O Mercado Interbancário

mercado interbancario

Por dia, são realizadas milhões de operações interbancárias de transferência de dinheiro. Saques, depósitos e transferências eletrônicas. Conforme explicado anteriormente, o depósito compulsório obriga que uma certa percentagem dos depósitos realizados nos bancos permaneçam numa conta do banco central.

Aqui cabe um exemplo para que você entenda melhor. Vamos supor que a grosso modo, a taxa de compulsório é de 50% para valores parados em conta corrente. Isto quer dizer que se a soma de dinheiro de todos os correntistas de um banco X for 100 mil reais, o valor a ser depositado no banco central obrigatoriamente será de R$ 50 mil reais.

Devido ao excesso de transações, é comum que essa percentagem não seja antigida por alguns, e seja ultrapassada por outros. Em outras palavras, alguns bancos terminam o dia com falta de recursos nas contas do BC (Banco Central) e outros terminam o dia com recursos em excesso.

Pegando o mesmo banco X como exemplo, se após ao final de um dia o saldo em conta corrente dos correntistas passar para 150 mil reais, o depósito a ser realizado no banco central deverá ser de R$ 75 mil. Isto quer dizer que ele terá que pegar dinheiro emprestado para poder depositar estes 25 mil que estão faltando na conta do BC(supondo que o saldo anterior de R$ 50 mil não tenha sido alterado).

No caso descrito acima, os bancos que possuem excesso de recursos, emprestam dinheiro para os bancos que estão com falta de recursos. Estes empréstimos são de curtíssimo prazo (geralmente um dia apenas) e a garantia desta operação é justamente os títulos públicos comprados do tesouro nacional.

Com isto em mente, agora vai ficar muito mais fácil entender os conceitos a seguir.

O que é Selic?

Antes de entender o que é a Taxa Selic, é necessário entender o que significa “SELIC”. SELIC é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia e nada mais é do que o sistema computadorizado que o governo usa para controlar a emissão, venda e compra destes títulos de modo que as operações sejam realizadas de maneira segura e confiável. É ele que garante que um título comprado por você seja realmente seu, vinculando aquele título com o seu CPF.

O que é Taxa Selic?

A Taxa Selic em sua essência se divide em duas taxas. A Taxa Selic Over e a Taxa Selic Meta. É bem difícil ver o termo Taxa Selic Over por aí, comumente jornais, revistas e a própria TV apenas usam o termo Taxa Selic. Ambas são bem simples de se entender como você verá logo abaixo.

O que é Taxa Selic Over?

Conforme explicado no início do artigo, para manter o saldo dos depósitos compulsórios de acordo com o estabelecido pelo Banco Central, os bancos são obrigados a fazer empréstimos com outros bancos dando em garantia títulos do tesouro nacional. A garantia aqui funciona da mesma maneira que um financiamento imobiliário, nele você usa o imóvel como garantia até liquidar o financiamento, os bancos  usam os títulos adquiridos do Banco central como garantia.

Chama-se de Taxa Selic Over a taxa de juros interbancária (entre um banco e outro) usando como garantia os títulos públicos emitidos pelo tesouro nacional. Esta taxa também recebe o nome de Taxa Selic Overnight, uma vez que os empréstimos entre um banco e outro são feitos por períodos de curtíssimo prazo (1 dia). O termo overnight significa exatamente operações financeiras com prazo de 24 horas.

O que é Taxa Selic Meta?

A “Taxa Selic Meta” e a expressão “Taxa Selic” usada em telejornais, revistas e outros meios de comunicação significam exatamente a mesma coisa. Quando você vê o William Bonner no Jornal Nacional anunciando que o comitê de política monetária aumentou ou diminuiu a taxa de juros Selic, é exatamente da Taxa Selic Meta que ele está falando. Para uma clareza maior do texto, a partir de agora chamarei a Taxa Selic Meta de simplesmente Taxa Selic.

A Taxa Selic Meta (ou Taxa Selic falada nos noticiários) é comumente chamada de taxa básica da economia no Brasil. Ela recebe este nome porque é a partir dela que as taxas de juros de empréstimos e financiamentos são balizadas. Em resumo, é a partir desta taxa que os juros cobrados do cheque especial e outros empréstimos pessoais são calculados.

Costuma-se dizer que a Taxa Selic é a menor taxa de juros praticada no mercado, ou seja, não seria possível obter algum empréstimo ou financiamento com uma taxa menor. Isto não é totalmente verdade pois financiamentos de cunho social recebem incentivos e costumam ter taxas mais atrativas, um exemplo são os financiamentos habitacionais. Entretanto, o mais comum é ver empréstimos e financiamentos com taxas bem acima (põe acima nisso) da Taxa Selic.

COPOM – Comitê de Política Monetária

comitê de politica monetária copom

Agora que você já sabe a definição da Taxa Selic Meta, mostrarei quem é o responsável por definir o valor desta taxa. Conheça o COPOM – Comitê de Política Monetária.

Conforme você verá mais adiante neste artigo, a Taxa Selic não serve apenas para balizar as taxas de juros da economia. O aumento ou diminuição desta taxa tem profunda influência na sua vida do dia a dia e na economia do Brasil.

Por ser de extrema importância, é fundamental que exista um meio transparente e confiável para decidir os rumos desta taxa.

Em 1996, o Brasil decidiu seguir o exemplo do que já acontecia lá nos EUA e Alemanha. Criou-se o Comitê de Política Monetária(COPOM) responsável por definir a taxa de juros básica da economia (Taxa Selic) e estabelecer as regras da política monetária, esta última diz respeito a quantidade de dinheiro em circulação na economia.

Como é Definida a Taxa Selic?

Para definir a taxa básica da economia, o COPOM faz 8 reuniões por ano, que dividem-se em dois dias. As reuniões acontecem sempre nas terças e quartas feiras, sendo que na terça é reservado para apresentação de dados e discussões e na quarta acontece a votação e definição da taxa de juros.

Como a Taxa Selic Influencia a Economia e Seus Investimentos?

como a Taxa Selic influencia nos investimentos e inflação

Mostrarei agora como a definição desta taxa afeta o seu bolso e a rentabilidade dos seus investimentos.

Taxa Selic e os Títulos Públicos do Tesouro Direto

Quando o assunto são títulos públicos, o impacto do aumento ou diminuição da Selic Meta implica na maior ou menor rentabilidade dos títulos indexados a esta taxa. Estes títulos conhecidos como Letra Financeira do Tesouro(LFT) ou Tesouro Selic (Novo nome da LFT de 2015 em diante) renderão exatamente a variação desta taxa. Portanto, aumentos da Taxa Selic são acompanhados por aumentos de rentabilidade nas LFT (ou Tesouro Selic). A ideia também é análoga para casos de diminuição da Selic.

Taxa Selic e o Rendimento da Caderneta de Poupança

Para a caderneta de poupança, vale as regras da nova rentabilidade estabelecida em 4 de maio de 2012. São apenas dois casos possíveis:

  • Quando a Taxa Selic for igual ou Superior a 8,5% ao Ano
  • Quando a Taxa Selic for Inferior a 8,5% ao ano

No primeiro caso a poupança tem rendimento igual a 0,5% ao mês + TR. Ao ano, a rentabilidade correspondente é de 6,17% + TR.

Já no segundo caso, enquanto a rentabilidade no item 1 é “fixa”, aqui ela se torna variável. O rendimento da poupança aqui é sempre igual a 70% da Taxa Selic vigente do período + TR. Em outras palavras, é a Taxa Selic multiplicada por 0,7.

Se quiser saber mais sobre a caderneta de poupança, leia o artigo Caderneta de Poupança – O Guia Absolutamente Completo.

Taxa Selic e outros Investimentos de Renda Fixa

Neste artigo você aprendeu que a Taxa Selic Over é a taxa utilizada quando um banco empresta dinheiro para outro banco e usa como garantia um título público federal. Uma outra garantia muito comum oferecida nos empréstimos interbancários é o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

O CDI(Certificado de Depósito Interbancário) são títulos privados emitidos pelos próprios bancos e que são usados como garantia para transferência de recursos(empréstimos) entre uma instituição e outra. A taxa de juros praticada nestas transferências de recursos recebe o nome de Taxa CDI.

Historicamente, a Taxa Selic e a Taxa CDI sempre foram muito próximas, de modo que uma variação na Taxa Selic implica em uma variação semelhante da Taxa CDI. Ultimamente esta proximidade histórica não tem se cumprido, mas para efeitos de simplificação, considerarei que ambas as taxas se comportam de maneira igual.

É importante salientar que Taxa CDI é usada como índice de referência nas principais modalidades de investimentos em renda fixa como Letras de Crédito Imobiliário(LCI), Certificados de Depósito Bancários(CDB), Letras de Crédito(LC) e Letras de Crédito do Agronegócio(LCA). Além disso, é muito utilizada no mercado de Fundos de Investimentos, principalmente nos fundos referenciados DI os quais usam exatamente a Taxa CDI como índice a ser batido ou acompanhado.

É fácil perceber que aumentos da Taxa Selic implicam em aumentos da Taxa CDI que por sua vez potencializam a rentabilidade das aplicações em renda fixa e fundos descritos acima. A reciproca também é verdadeira em casos de diminuição da Taxa Selic.

Como a Taxa Selic Influencia a Inflação?

Conforme visto neste artigo, a Taxa Selic é usada como taxa referencial para as demais taxas do mercado, o que significa que um aumento nesta taxa implica em taxas mais altas para financiamentos e empréstimos pessoais.

Como fica mais caro conseguir crédito, o consumo é afetado uma vez que o dinheiro para adquirir produtos pessoais, carros, eletrônicos e entre outros ficou escasso.

Assim, Imagine que Marcos, nosso personagem fictício, esta juntando dinheiro durante seis meses para comprar seu primeiro carro zero km. Marcos fez uma simulação em um banco no começo de janeiro, e a partir daí começou poupar e economizar para daqui a 6 meses financiar seu carro.

Um aumento da Taxa Selic pode fazer os planos de Marcos irem por água abaixo pois ele poderia não conseguir arcar com as prestações uma vez que um aumento dos juros levaria a um aumento no valor das prestações.

Deste modo, o dinheiro que ele pegaria emprestado e que circularia na economia deixará de existir. Em outras palavras, ele deixaria de comprar e de um modo geral situações semelhantes aconteceriam com outras pessoas que acabariam comprando menos, aumentando a quantidade de produtos disponíveis no mercado.

Uma alternativa para manter o ritmo das vendas é o comercio diminuir os preços dos produtos, o que causaria uma diminuição dos preços e por sua vez um recuo da inflação.

Outro fator que potencializa o aumento de juros para financiamentos e empréstimos pessoais é o grau de atratividade de títulos públicos quando a Taxa Selic sofre aumento. As Letras Financeiras do Tesouro Nacional(LFT) ou Tesouro Selic ficam mais atrativas, fazendo com que os bancos prefiram investir nestes títulos ao invés de emprestar dinheiro para pessoas e empresas.

Além dos fatores citados, um aumento da Taxa Selic também estimula as pessoas a investirem mais, uma vez que investimentos conservadores começam a ficar bem atrativos (CDB, LCI, Títulos públicos LFT ou Tesouro Selic). Isto implica que as pessoas vão deixar de usarem seu dinheiro para o consumo imediato e postergar seu consumo para um momento futuro (quando resgatarem seu dinheiro).

A consequência disso é uma diminuição no consumo pois as pessoas comprarão menos, gerando um aumento da oferta dos produtos já existentes no mercado. Isto fará com que os preços caiam uma vez existe uma quantidade maior de produtos do que pessoas dispostas a consumir.

Todos os exemplos citados deixam claro que aumentos da Taxa Selic tendem a afetar negativamente a inflação do país, fazendo com que ela diminuía. A reciproca também é verdadeira, em caso de diminuição da Taxa Selic, a inflação tende a aumentar.

Como a Taxa Selic influencia no seu Emprego?

taxa-selic-e-seu-emprego

Por último, todos os exemplos citados até aqui exemplificam bem o impacto da Taxa Selic na economia, mas ainda tem mais.

Conforme escrito anteriormente, aumentos nesta taxa também ocasionam diminuição de crédito para empresas, que por sua vez diminuirão seus investimentos, e consequentemente contratarão menos funcionários. Além disso, como o consumo diminuiu, não se faz necessário manter a produção de produtos no mesmo ritmo anterior (a demanda por eles diminuiu) o que implica que menos funcionários serão necessários.

A consequência imediata você já sabe, demissões ou férias temporárias até a “coisa melhorar”. É fácil de perceber isso no mercado automobilístico. Quando a demanda por carros está baixa, é comum ver nos noticiários empresas dando férias coletivas ou demitindo funcionários em massa.

É por isso que dependendo do setor que você trabalha, é possível estar mais sujeito aos efeitos colaterais do aumento ou diminuição desta taxa. A sugestão aqui é sempre investir na sua capacitação profissional e nunca parar no tempo. Além disso, tenha uma reserva de emergência para momentos como este. Ela vai te ajudar a ter tranquilidade para você poder se dedicar a uma realocação profissional sem precisar ficar desesperado em como pagar suas contas.

Agora é com você! O que você achou deste artigo?

Eu acredito que o processo de interação é a melhor maneira fixar e aprender as coisas. Participe deixando seu comentário ou dúvida sobre o que você acabou de ler, além de ser muito importante para mim, você ainda pode estar ajudando outros leitores que possuem os mesmos questionamentos.

Se inscreva também na lista do site para receber em primeira mão artigos, vídeos e notícias que vão te ajudar a poupar, economizar e investir dinheiro.

OBS: Foi usado como fonte deste artigo materiais publicados pelo sites mises.org, Tesouro Nacional, Tesouro Direto e Banco Central.

Crédito das Imagens usadas neste artigo: Depositphotos.
  • David

    Olá Mayko, acho que o texto ficou um pouco confuso onde é dado um exemplo do depósito compulsório, onde tem 150.000 reais com o compulsório de 50% o banco deixa no BACEN 75.000. Até aqui tudo bem, mas os 25.000 que você citou não fazem sentido, visto que o banco tem sobra e não precisa pegar emprestado de outro banco. Talvez o certo seria dizer, neste exemplo dado, que este banco teria dinheiro para EMPRESTAR a outros bancos. Se eu estiver errado me corriga, espero ter ajudado.

    • No caso que você citou, o banco em questão deve manter até o final do dia o saldo de 75 mil na conta do Banco Central. Supondo que até o dia anterior o valor nesta conta era de R$ 50 mil e não foi alterado, ele deve pegar emprestado dinheiro para chegar aos R$ 75.000,00 para cumprir a meta dos 50%.
      Perceba que o fato de o banco possuir depósitos a vista no valor de R$ 150 mil reais não significa que ele realmente tem este valor sobre seu domínio. Boa parte do dinheiro são apenas números digitais, os banco não precisa ter esta quantia em caixa.
      Sugiro a leitura destes dois artigos para se aprofundar mais:
      http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=344 e http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=311
      Ambos serviram de base para a escrita deste artigo aqui.

      • David

        Perfeito Mayko, foi equívoco meu neste caso.
        Eu não havia considerado o dia anterior, além do fato de que 150.000 é apenas um número, mais da metade desse dinheiro certamente está aplicado, o que tem na tesouraria é bem menos. Vou pesquisando aqui e aprender mais. Abraço.

  • Leokadia Trindade

    Parabéns pelo artigo.. Vou prestar provar para o CPA 10 e estava perdidassa nesse assunto.. O artigo me esclareceu muito.. Vou compartilhar com outros colegas.

    • Legal saber disso Leokadia, sucesso na sua prova de CPA 10!

  • Washington

    Mayko, me esclarece uma dúvida. Eu fiz um financiamento no banco (sem ser o da minha casa minha vida) para comprar meu apartamento com parcelas fixas ao longo do tempo, é o que me disseram no banco é que as parcelas iriam regredir no decorrer do tempo, mas será que me enganaram no banco? Se bem entendi, caso a taxa Selic aumente, o valor das minhas prestações podem aumentar também? Ou seja, a mudança pode inflacionar minha dívida ao passo que o apartamento que eu comprei no mercado pode desvalorizar de preço?

    Ótimo artigo, parabéns!

    • Oi Washington, existem basicamente dois sistemas que são usados nos financiamentos imobiliários aqui do país. Um é o sistema SAC e o outro é o Price. Pelo seu texto, não da pra entender bem qual dos dois o seu contrato se enquadra. Nesta parte do seu texto ” meu apartamento com parcelas fixas ao longo do tempo,” da a entender que você comprou por price, mas mais na frente do texto você fala que o banco prometeu diminuir as parcelas como passar do tempo, o que indica um sistema SAC. De qualquer maneira, você tem que ler seu contrato e verificar qual é o fator de reajuste das prestações(se é que existe um). Já presenciei muitos contratos serem atualizados pela taxa TR(taxa referencial), neste caso em determinados períodos do ano, seu saldo devedor é corrigido por esta taxa.

      Em resumo… Para saber como sua dívida se comportará com o tempo, você deverá ler o seu contrato. É o melhor jeito e infelizmente nós brasileiros não temos muito o hábito de ler contratos(eu também me incluo nessa).

      Espero ter ajudado, e obrigado pelo comentário.

  • Sandro Eladio

    Muito show este artigo, além de conter informações importantíssimas e esclarecedoras, está escrito de forma muito didática e com palavras de fácil entendimento. PARABÉNS!!!!!

  • Fernanda

    Excelente seu artigo, que maravilha encontrarmos pessoas disponibilizando informação com intuito de contribuir com o próximo.. Sucesso para você e parabéns.

  • David Duarte
  • David Duarte

    esse artigo é o melhor sobre o assunto http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=344

    • OI David, também gosto muito deste site. Valeu por compartilhar.

  • Beto Colares

    Nos países civilizados de primeiro mundo, os juros ja estão abaixo de zero passando a ser negativos, enquanto no Brasil somos escravos dos juros. Precisamos de lideranças para brigar contra dos juros abusivos, pois o Banco Central trabalha contra o povo, sendo somente um mero posto de atendimento, atendendo os interesses dos Bancos.

  • João Soares

    Olá Mayko, fiquei com duas dúvidas sobre a taxa DI.
    1 – Como, pelo que eu entendi, os CDIs são privados e individuais por instituição financeira, a taxa DI tem valores diferentes para cada instituição, ou é uma taxa única praticada entre elas?
    2 – Em relação a periodicidade de variação da taxa, também é atrelada a taxa Selic? Ou seja, ela só é alterada quando a taxa Selic é alterada também, ou seu tempo de variação é independente?

    Parabéns pelo artigo!

    • Oi João,

      1- Não existe uma taxa única, existe apenas um índice de referência(no caso a taxa selic). A média de todas as taxas praticadas nas transações CDI de um dia recebe o nome de Taxa DI overnight.

      2- Ao ser alterada, os bancos tendem a segui-la.

  • Marcos Rangel

    Oi Mayko! Obrigado pelo texto. Estou começando agora no mundo dos investimentos e estou procurando entender melhor para verificar onde invisto. Estou pensando em LFT. Mas, por favor, me tira uma dúvida.
    Pelo que entendi, um governo que tenta conter um aumento de inflação (recuperar ou conter uma crise) irá aumentar a taxa Selic. Ou seja, se temos sinais de que a economia caminha neste sentido, seria um bom negócio investir em LFT, devido as características deste investimento. É isso?
    No entanto, se o governo não aumenta a taxa selic, melhor seria o IPCA?
    Novamente, obrigado! Mto conciso e esclarecedor!

    • Oi Marcos, particularmente eu prefiro investir sempre visando meus objetivos financeiros. Gosto de pensar que posso tentar prever, mas nunca terei 100% de certeza com o que acontecerá na economia a médio e longo prazo.

      Além disso, não é apenas a Taxa Selic que influencia a economia, existem vários outros fatores envolvidos. Assim, não acredito que seja possivel chegar a uma resposta exata para a sua pergunta.

      Existem vários lugares por aí que te darão recomendações baseadas nas tendências a médio e longo prazo da economia em nosso país, mas a verdade é que ninguém tem bola de cristal.

  • Helena Schultz

    Excelente artigo. Está de fácil entendimento. Faço Tecnólogo em Gestão Financeira e me ajudou bastante nas minhas pesquisas. Abraço.