O Que é CDB? O Guia Definitivo!

Tempo de leitura: 14 minutos

Você conhece alguém que já precisou de algum empréstimo bancário?

É sempre a mesma história… Você vai ao banco e assina um contrato concordando que após certo período de tempo será pago a quantia inicial do empréstimo mais os juros estabelecidos no contrato.

Neste artigo você descobrirá o que o CDB tem de semelhança com a situação descrita acima, como ele funciona, qual a tributação que incide sobre ele, como calcular seu rendimento, quais os riscos envolvidos e dicas de qual o melhor lugar para investir em CDB.

Você descobria também que o CDB é uma boa alternativa a tradicional caderneta de poupança.

O Que é CDB?

O que é CDB?

Conforme exemplificado no início deste artigo, o CDB nada mais é do que um empréstimo concedido a uma instituição financeira por seus clientes, ou seja, ao realizaruma aplicação é você que estará emprestando seu dinheiro ao banco, que por sua vez emprestará o mesmo para outras pessoas.

É assim que funciona o sistema financeiro, de um lado existem as pessoas que possuem sobras de recursos e que estão dispostas a investir no mercado, e do outro existem as pessoas com carência de recursos e que precisam de dinheiro emprestado.

O CDB significa Certificado de Depósito Bancário e é um título de crédito privado. Ao comprar este título você passa a ter direito sobre a quantia emprestada ao banco mais os juros combinados no momento da aplicação.

O CDB é considerado um investimento de renda fixa.

Rendimento CDB

rendimento cdb

Quatro são os fatores que influenciam diretamente o rendimento do CDB, são eles:

  1. A segurança da Instituição Financeira que você escolheu para investir em CDB.
  2. Prazo de vencimento do CDB escolhido por você.
  3. Valor que você está disposto a investir.
  4. Taxa Previamente acordada entre você e o banco.

O primeiro faz referência ao velho conceito do mundo dos investimentos que diz que quanto maior o risco assumido, maior tende a ser a rentabilidade.

Em geral, bancos menores tendem a oferecer rentabilidades maiores do que os grandes bancos tradicionais.

Isto acontece por que a chance de falência de um banco pequeno é maior do que a de um grande banco.

Assim, os bancos pequenos oferecem rentabilidades maiores como um meio de atrair mais investidores.

O segundo faz referência ao prazo da aplicação ao se investir em CDB. De maneira geral, quanto mais tempo você estiver disposto a deixar seu dinheiro aplicado no banco, mais ele te remunerá por isso.

Isto acontece pois o banco terá mais tempo para “emprestar” seu dinheiro da maneira que ele achar melhor. Assim, é justo pensar que a remuneração paga a você  também seja maior.

Isso explica porque CDB´s com liquidez diária(você aprenderá o que é liquidez mais na frente) possuem um rendimento inferior quando comparado a um CDB´s que permite resgate somente ao final do prazo de vencimento do título.

Segue abaixo um exemplo de tabela mostrando como o prazo afeta a rentabilidade do CDB. A imagem usada é do banco Sofisa e serve apenas para exemplificar como o prazo da aplicação tem influência sobre rendimento.

tabela rendimento cdb

Perceba que quanto maior o prazo, maior a rentabilidade na coluna “%CDI”(você vai entender melhor sobre o que significa esta coluna mais na frente).

O terceiro envolve o valor da aplicação mínima exigida por cada banco e o valor total já aplicado por você em uma determinada instituição financeira.

Em geral, quanto maior a aplicação mínima exigida, melhor tende a ser a taxa de rentabilidade oferecida pelo banco.

Além disso, algumas instituições financeiras aumentam a rentabilidade oferecida se após um determinado período de tempo você acumular um capital suficientemente grande.

Abaixo está um exemplo de como o valor de aplicação minima tem influência sobre o rendimento do CDB para uma mesma instituição financeira.

tabela de valor mínimo para aplicar em cdb
Crédito da Imagem: Corretora EasyInvest

Considerando apenas as últimas 3 linhas da tabela, perceba que quanto maior o valor mínimo para investir(coluna valor mínimo), maior a rentabilidade(coluna taxa).

Por último, mas não menos importante, é a taxa ofertada pelo banco em si. Conforme você viu, todos os exemplos anteriores já exercem certa influência nesta taxa, entretanto ela poderá se apresentar de duas formas bem distintas:

  • Pré-Fixada
  • Pós-Fixada

A seguir você conhecerá as características de cada uma destas modalidades.

Tipos de CDB

Tipos de CDB

No CDB, os rendimentos são previamente definidos e os títulos podem ser do tipo Pré-Fixado e Pós-Fixado.

CDB com Rendimento Pré-Fixado

No CDB Pré-Fixado a rentabilidade final é conhecida no momento da aplicação. Em outras palavras, você saberá quanto vai receber no vencimento do título. Vou dar um exemplo para você entender melhor.

Suponha que no momento da aplicação o banco te ofereceu um CDB com rendimento de 12% a.a(ao ano) e que você decidiu deixar o dinheiro aplicado durante todo este período. Isto quer dizer que um investimento inicial de R$ 1000,00 será resgatado pelo valor de R$ 1120,00 ao final do prazo de um ano. (não levando em consideração os impostos).

Perceba que na situação acima você já tem a real consciência de qual montante receberá ao final do prazo de 365 dias pois a taxa de remuneração do CDB está pré-fixada em 12% a.a.

CDB com Rendimento Pós-Fixado

No CDB Pós-Fixado a rentabilidade final depende de um indexador.

Existem vários índices no mercado financeiro, os mais comuns são:

  • IPCA – É usado para medir a variação da inflação oficial do país.
  • IGPM – Mede a variação da inflação usada para ajustar os preços dos alugueis.
  • CDI – É a taxa média dos juros cobrados nos empréstimos praticados entre um banco e outro.

É sobre o CDI que a maioria absoluta dos CDB’s do mercado são indexados.

Segue abaixo o vídeo do Samy Dana, colunista da Folha de São Paulo, com uma breve explicação sobre as diferenças entre CDB e CDI.

Conforme explicado no vídeo, CDI significa certificado de depósito interbancário, e nada mais é do que um média da taxa de juros praticado nos empréstimos entre os bancos.

No CDB pós-fixado o rendimento será sempre igual a uma percentagem do CDI. Vou dar um exemplo para que fique mais claro.

Supondo que a taxa do CDI esteja em 11,50% a.a(ao ano) e você adquiriu um CDB que paga 98% do CDI, a rentabilidade final é dada por uma simples conta de multiplicação. Nesse caso, basta multiplicar 11,50 por 98%, ou seja, multiplique 11,50 * (98/100) = 11,27 a.a(ao ano). Assim, a rentabilidade ao final de um ano seria de de 11,27%.

Vale lembrar que dificilmente o valor do CDI se mantém constante no decorrer do ano, e sempre que ele variar, a rentabilidade refletirá seu novo valor.

Para saber qual o valor do CDI na data atual, basta acessar o site da CETIP e observar o valor descrito no campo Taxa DI.

É seguro investir em CDB?

risco de investir em cdb

Em se tratando de investimentos, muitas pessoas procuram não se arriscar a perder dinheiro e acabam buscando investimentos mais seguros.

Logo abaixo eu descrevo os tipos de risco ao adquirir um CDB e explico o que é e como funciona a garantia do Fundo Garantidor de Crédito(FGC).

Risco de Liquidez

Liquidez significa a facilidade de transformar um investimento em dinheiro para ser usado de maneira imediata. Um exemplo que gosto de citar para entender melhor o processo de liquidez são os imóveis.

O processo de venda de um imóvel pode demorar bastante, podendo levar meses até achar um comprador disposto a pagar o valor real do imóvel.  Se você precisar do dinheiro da venda do imóvel para alguma emergência, você pode estar em sérios apuros.

Para efeito de comparação, a poupança pode ser resgatada imediatamente, em caixas eletrônicos, casas lotéricas e até mesmo usando o cartão de débito.

Notou a diferença entre as duas? Na poupança o dinheiro estará no seu bolso de maneira imediata, já o imóvel a historia pode ser bem diferente.

No CDB o risco de liquidez está diretamente ligado ao prazo inicialmente estipulado no momento da aplicação.

Se você adquirir um CDB com prazo de 1 ano e por algum motivo precisar sacar o dinheiro antes desse período, saiba que não é obrigação da instituição financeira resgatar o título para você. Neste caso, o resgate acontecerá somente na data de vencimento.

É importante salientar já existem opções de CDB com liquidez diária no mercado, isto significa significa que você poderá solicitar o resgatar do título a qualquer momento antes da data de vencimento do mesmo.

Você deve estar se perguntando: Já que existe um CDB que posso resgatar a qualquer momento, o que levaria alguém aplicar em um CDB com resgate somente no vencimento?

A resposta é simples, quanto maior o prazo de resgate, maior tende a ser a rentabilidade oferecida pelo banco para um determinado CDB.

Conforme você leu anteriormente neste artigo, um CDB com liquidez diária tende a ter uma menor rentabilidade quando comparado a um CDB com liquidez somente no vencimento.

Risco de Crédito

O Risco de Crédito está diretamente ligado a perdas parciais ou totais do dinheiro investido. Os motivos podem ser diversos, mas o mais comum é o banco escolhido por você quebrar e não conseguir honrar o compromisso assumido no momento da aplicação.

Felizmente no caso do CDB, existe a garantia do Fundo Garantidor de Crédito(FGC), o qual falarei a seguir.

CDB e a Garantia do Fundo Garantidor de Crédito – FGC

Garantia do fundo garantidor de credito fgc

O FGC é uma entidade privada, sem fins lucrativos que garante aplicações no valor de até R$ 250.000,00 reais por CPF em cada instituição financeira.

Isso quer dizer que se a instituição financeira falir e você possuir um valor parado em conta corrente ou investido de até R$ 250 mil reais, eles devolverão o seu dinheiro de volta. Portanto, independente do banco escolhido, você estará seguro se o valor aplicado for inferior a R$ 250.000,00 mil reais.

Tributação do CDB

Tributação CDB

Conforme dito no começo deste artigo, o CDB é considerado um investimento de renda fixa e está sujeito as mesmas regras de tributação impostas para os produtos desta categoria.

São dois os tipos de impostos cobrados no CDB, um é o imposto sobre operações financeiras(IOF) e o outro é o imposto de renda.

Ambos os impostos são recolhidos no momento do resgate pela própria instituição financeira que emitiu o CDB, o que significa dizer que o investidor não precisará se preocupar com toda a burocracia envolvida deste processo.

Além disso, a tributação é realizada somente sobre os rendimentos da aplicação, ou seja, o capital inicial investido não é passível de ser tributado.

Imposto sobre Operações Financeiras – IOF

O IOF é um imposto que incide somente em caso de resgate dentro de um prazo de 30 dias. Ele serve como um grande desestimulador para o investidor resgatar sua aplicação em períodos de curtíssimo prazo.

Sua incidência é máxima no primeiro dia após a aplicação e decresce até zero no trigésimo dia.

Segue abaixo tabela ilustrativa:

Tabela de IOF para CDB
Tabela de IOF para CDB

Se você pretende deixar seu dinheiro aplicado por um período maior do que 30 dias, então não há necessidade de se preocupar com o IOF.

Imposto de Renda

Conforme dito anteriormente, o imposto de renda incide apenas nos rendimentos e não no capital inicial investido.

Vale lembrar que os tributos são pagos no momento do resgate do título e não há necessidade do investidor se preocupar com o recolhimento, uma vez que é obrigação da instituição financeira lidar com este imposto.

Tendo isso em mente, o imposto pago depende de quanto tempo você deixou seu dinheiro aplicado. Quanto maior for a permanência no investimento, menor será a tributação. Por este motivo, chama-se de tabela de tributação regressiva, conforme mostrado abaixo.

  • Incidência de 22,5% sobre os rendimentos para aplicações com prazo de até 180 dias
  • Incidência de 20% sobre os rendimentos aplicações entre 181 dias e 360 dias
  • Incidência de 17,5% sobre os rendimentos para aplicações com prazo de 361 até 720 dias
  • Incidência de 15% sobre os rendimentos para aplicações com prazo maior que 720 dias.

Como você pode observar, a tributação é menor para quem estiver disposto a deixar seu dinheiro por mais tempo aplicado.

Como Investir em CDB?

Existem basicamente duas maneiras:

A primeira e mais simples é investir diretamente pelo seu banco. É importante salientar que grandes bancos oferecem rentabilidades bem baixas para quem tem pouco dinheiro disponível para investir.

Os CDBs em bancos grandes costumam ser atraentes somente quando aplicados por uma corretora de valores ou com quantias iniciais bem altas.

Uma outra alternativa é aplicar em bancos menores como o Banco Sofisa, apesar do risco ser maior, você conta com a garantia do FGC caso a aplicação seja inferior a R$ 250.000,00.

No momento que este artigo foi escrito, o Banco Sofisa estava oferecendo CDB com liquidez diária e com taxas bem atrativas. Além disso, possui investimento inicial mínimo de R$ 1 real.

Quero salientar que eu não ganho absolutamente nada citando eles aqui, você é o único responsável sobre os seus investimentos.

A segunda opção é através de uma corretora de valores, o que implica que você terá que pesquisar a mais adequada ao seu perfil. Uma corretora tem o poder de barganha em negociar CDBs com vários bancos diferentes, isto implica em uma variedade de CDBs disponíveis com rentabilidades mais atraentes para investir o seu dinheiro.

Conclusão

o que é cdb

 

Neste artigo você descobriu que o CDB nada mais é do que o processo de emprestar dinheiro para uma instituição financeira e ser remunerado por isso.

Aprendeu quais são os fatores que influenciam a rentabilidade do CDB e percebeu que seu rendimento pode ser pré-fixado ou pós-fixado.

Descobriu também como funciona a tributação nas aplicações de CDB e quais os riscos de se investir nele.

Por último, conheceu as alternativas para realizar sua primeira aplicação em CDB.

O que eu posso fazer agora?

  1. Gostou do artigo? Conseguiu aprender coisas novas? Quer Receber mais conteúdo como este, conhecer outros investimentos e ainda receber dicas quentes que vão te ajudar a economizar e poupar ainda mais o seu dinheiro? Clique aqui e saiba mais sobre meu curso 100% gratuito.
  2. Deseja uma solução definitiva para acelerar seu aprendizado sobre como investir seu dinheiro corretamente e com segurança? Clique aqui e conheça o e-book como investir dinheiro recomendado por especialistas como Gustavo Cerbasi.
  3. Por último, se você gostou deste artigo, compartilhe ele com seus amigos nas redes sociais! Eles com certeza vão adorar!
Crédito das Imagens usadas neste artigo: Depositphotos.
  • Thiago Mathias

    Mayko F, me ajuda em uma questão?

    Vale apena, investir em CDB com prazo de 31 dias, com taxa de 108,00% do CDI, com aliquota IR 22,50% Valor mínimo de aplicação 3.000,00 e liquidez no vencimento?

    Consultei na data de 18/04/2015 a Taxa DI no sitehttp://www.cetip.com.br/ está 12,60%, vale apena fazer este investimento de 3.000,00 neste prazo 31 dias???

    Desde já agradeço a orientação.

    • É muito difícil responder esta pergunta. Qual é o seu objetivo com este investimento? Você terá que fazer alguma transferência de TED ou DOC e pagará tarifa por isso? Lembre-se dos custos na hora de investir. A julgar somente pelos valores mencionados no texto, eles estão bem razoáveis para um investimento em CDB. Entretanto falta um contexto de qual objetivo você deseja alcançar com este investimento curtíssimo prazo.

    • Paulo Henrique

      Thiago, qual foi a instituição?

  • Oharum Edadic

    Olá Mayko França, muito bom o artigo e seu site. Estou começando aprender sobre investimentos e finanças agora e seus guias vem me ajudando bastante.

    Vi num outro site que o FGC garante até R$70.000 por CPF, mas no seu artigo diz R$250.000 por CPF, pq essa diferença? Aqui está o link do site que fala sobre os R$70.000 http://www.investpedia.com.br//artigo/O+que+e+CDB+e+como+calcular+sua+rentabilidade.aspx

    • Oi Oharum Edadic, é exatamente o que o Kiko responde, provavelmente esta informação no site que você postou está desatualizada.

      O valor correto nos dias atuais é de R$ 250.000,00 por CPF.

      • Oharum Edadic

        Obrigado pelas respostas Kiko e Mayko

  • Ivan Matos

    Mayko, rodei bem na Easynvest, Rico e XP Investimentos, e em nenhuma nelas há um CDB com liquidez diária tão boa quanto a da Sofisa!

    Muito obrigado pela sugestão, pois se não tivesse dado, acho que eu não conseguiria achá-la, rs.

  • Ivan Matos

    Olá, Mayko!

    Recentemente investi num CDB do Banco Máxima de 116% do CDI, mesmo ele não possuindo classificação de nenhuma agência (vi isso pelo próprio menu da easynvest, que foi a corretora que usei). Mas fui tranquilo, devido à garantia do FGC.

    Mas tenho uma dúvida, se o banco falir, o processo para reaver meu investimento pelo FGC dá muito trabalho? Terei que abrir um processo, com papelada, contratação de advogado e etc, gerando mais custos para mim…?

    Ou é tudo praticamente automático e sem custos judiciais?

    Você acha que eu deveria me preocupar com a classificação de agências, antes de investir (mesmo que abaixo de 250 mil)?

  • Ivan Matos

    Olá, Mayko!
    Estou pesquisando há apenas duas semanas e graças aos estudos (os quais principalmente fiz no seu blog), já estou me sentindo bastante confiante para investimentos de renda fixa (até fiz um resumo básico com umas 10 Pgs e estou reunindo amigos para ensina-los tbm, pois acho uma sacanagem as pessoas não saberem disso RS).
    Realmente acredito que posso fazer bons investimentos. Semana passada mesmo achei um CDB de 116% do CDI, de um ano, do banco Maxima, pela Easynvest. Investi nele na hora! Kkkkk

    Agora, minha questão é a seguinte: Invisto num PGBL coparticipativo com a empresa, com tabela regressiva de IR. Estou feliz com isso, pois quanto mais estudo, mais me convenço que fiz uma boa escolha. Rs.

    Mas só uma coisa me preocupa, quando eu completar 10 anos, poderei resgatar tudo de uma vez, pagando apenas 10% de IR, ou só poderei resgatar com essa aliquota os investimentos que completaram 10 anos no fundo (que no meu exemplo, seria apenas o investimento do meu primeiro mês)?

    Meu medo é que eu tenha que guardar meu dinheiro lá por pelo menos 20 anos, para poder resgatar tudo que investi nos primeiros 10 anos (assim tendo que esperar a parcela que paguei no último mês do décimo ano completar 10 anos no fundo de previdência)…

    O que mais me atraiu pra previdência foi o abatimento no IR e principalmente a participação da minha empresa (que entra com o mesmo valor que eu, com o limite de até 4% do meu salário). Bom, então significa um rendimento automático de 100% do que eu colocar ne rs (desde que seja até 4% do salário, eh claro).

    Meu plano eh o Itaú Vida e Previdência.
    Achei lucrativo por causa dessas coisas. Vc acha que estou investindo mal?

    Muito obrigado mais uma vez!
    Grande Abraço!

    • Oi Ivan,

      Parabéns pelo CDB, conseguiu uma ótima taxa.

      A incidência mínima de imposto acontece após um período de 10 anos a partir do prazo de cada parcela depositada individualmente. Assim, baseado em sua pergunta, a incidência de 10% de IR acontece somente na parcela de deposito nº 1(de 10 anos atrás). A última parcela sofrerá incidência máxima de IR 35% (pois acabou de ser depositada).

      Vale lembrar que no plano de previdência você não administra seu dinheiro, você não tem controle do que o gestor vai fazer com ele e ainda pode estar pagando uma taxa de administração alta. O pessoal dos correios está tendo que pagar um rombo bilionário e o pessoal da Caixa Econômica vai começar a pagar agora também. Tudo por causa de erros de gestores que não sabiam o que estavam fazendo.

      Além disso, é bem provável que você mesmo poderá realizar os investimentos que o gestor do fundo está fazendo, basta apenas um pouco de estudo.

      • Ivan Matos

        Show de bola! Obrigado, meu amigo!
        Essa informação é muito importante!

        Mas acha que não vale a pena, mesmo comigo recebendo a coparticipação da empresa?

        • Oi Ivan,

          Apesar de ser extremamente rentável um plano de previdência o qual a empresa participa junto com você na contribuição, caímos no velho argumento que existem outras pessoas administrando seu dinheiro. Particularmente, eu tentaria saber o máximo possivel da idoneidade do pessoal que administra o fundo.

          Mesmo assim… Acredito que ainda ficaria com o pé atrás…

          • Ivan Matos

            Ah, entendi!

            Muito obrigado pela opinião! =-]

  • Ivan Matos

    Olá, Mayko!
    Existe alguma chance de eu levar um calote do banco, mesmo se ele não falir?

    E se isso ocorrer, o FGC me restituiria?
    Abraço!

    • Oi Ivan,
      De acordo com o site do FGC: “O Fato gerador da garantia é a data em que o Banco Central decreta Regime Especial (Intervenção ou Liquidação) na Instituição Financeira, fechando-a ao acesso público.

      Diante do exposto acima, desconheço algum incidente de calote o qual não tenha acontecido intervenção do BC.

      Vale lembrar que é importante saber se o banco o qual você investiu é associado ao FGC, caso contrário não terá cobertura.

      • Ivan Matos

        Ah sim!
        Eu li no site do FGC que todas as instituições financeiras (a Caixa Econômica Federal, os bancos múltiplos, os bancos comerciais, os bancos de investimento, os bancos de desenvolvimento, as sociedades de crédito, financiamento e investimento, as sociedades de crédito imobiliário, as companhias hipotecárias e as associações de poupança e empréstimo, em funcionamento no Brasil) são obrigatoriamente associadas ao FGC, conforme determina o Banco Central do Brasil.

        Então apesar de sempre dar aquela confirmada básica na lista de bancos associados antes de investir (kkkk), eu acho que não preciso temer muito sobre essa verificação, de fato.

        Meu único medo mesmo seria o banco me dar o calote, mesmo sem ter falido (agir de má fé).
        Mas realmente, também leio muito e de fato nunca ouvi falar de um caso desses. rs

        Muito obrigado mais uma vez, meu amigo!
        Grande abraço!

  • Leo Brito

    Olá, Mayko,
    minha dúvida é bem simples. Posso comprar frações de LCA, LCI e CDB assim como é possível com LTN, LFT e NBN? Caso seja possível, percebo ser bem mais interessante investir em LCA, LCI e CDB, tendo em vista a garantia do FGC, e a isenção de IR no LCI e LCA.
    Um grande abraço, parabéns pela iniciativa. O seu site é muito esclarecedor e acessível!!!

    • Oi Leo,

      Seguinte, com LCA, LCI e CDB você deve aplicar pelo menos o valor mínimo exigido pela instituição financeira.

      Acredito também que você quis fazer fazer referência a garantia do FGC. Vale lembrar que investir em títulos públicos ainda é mais seguro do que investir em títulos privados.

      Outro ponto interessante é que você não deve se basear apenas no fato de uma aplicação ter isenção ou não de imposto de renda, deve sempre observar a rentabilidade liquida, ou seja, aquela já livre de impostos e taxas.

  • João Soares

    Olá Mayko,

    De uma forma geral eu consegui entender o funcionamento do CDB’s pós-fixados atrelados a taxa DI. Porém ainda fiquei com dúvida na forma do cálculo dos rendimentos em relação a variação da taxa durante a existência do título.
    Uma vez que a taxa varia, todos os rendimentos anteriores já, teoricamente, ganhos são recalculados em cima dessa nova taxa? Ou o rendimento é diário e o valor da nova taxa vai incidir apenas a partir do momento da alteração?

    Desde já agradeço a ajuda.
    Parabéns por mais um excelente artigo rapaz.

    • Oi João, o valor é diário e acontece somente em dias úteis.

      • João Soares

        Olá Mayko, agradeço pela explicação.

        Acho que eu acabei confundindo a variação da taxa DI com o valor progressivo dos rendimentos do CDB que apliquei.

        No inicio desse ano, querendo sair um pouco da habitual poupança e sem ter noção alguma de investimentos, eu acabei aplicando dinheiro em um CDB no meu banco. Pelo que eu aprendi no artigo e pelo que vi no contrato, ele tem liquidez diária e os rendimentos são baseados em uma porcentagem progressiva sobre a taxa DI, quanto mais tempo maior a porcentagem. Porém essa porcentagem é muito baixa, vai de 80% à 95%, sendo essa última atingida apenas depois de 03 anos :'(

        Nada como uma boa leitura sobre o assunto para saber não foi um bom negócio. Já me cadastrei em uma corretora de valores (Easynvest) e estou aguardando aprovação para começar a investir melhor e mudar isso. =D

        Obrigado pelas dicas.
        Abs!

  • Ariel Luide

    Muito bom o conteúdo!

  • adilson picazo galhardo

    gostaria de saber como controlar se o dinheiro investido em CDB de um determinado banco foi realmente investido no referido banco, ou seja, se a corretora não esta de má fé.

  • Juarez Felipe

    Explicação excelente, tirou muitas duvidas minhas obrigado.

  • Flavia

    So podo investir em CDB se eu tiver 5000 reais de capital inicial e 5000 reais para investimentos mensais?

    • O valor inicial mínimo para investir em CDB depende da instituição financeira que você escolher investir.

  • Daniel Mininel

    Bom dia!
    Gostaria de transferir meu investimento de CDB do Itaú para o Bradesco, mesma titularidade, pois não utilizo mais o Itaú e fico pagando taxa. Pergunto: pago imposto nessa movimentação?

    • Oi Daniel,

      Não é possivel transferir um CDB de um banco para outro. Você terá que sacar o valor no Itaú e aplicar o dinheiro no Bradesco.

      Nesse processo, você pagará imposto de renda conforme o prazo que deixou o dinheiro aplicado lá.

  • Daniel Mininel

    Excelente! Obrigado por tirar minha dúvida. Sucesso sempre!